Esporte: Fúria, fumaça e furto: os problemas da Austrália na primeira semana na Vila

Fúria, fumaça e furto: os problemas da Austrália na primeira semana na Vila



Uma semana, sete dias. O curto espaço de tempo foi o suficiente para a Austrália sofrer com inúmeros problemas na Vila Olímpica e acumular outras tantas reclamações sobre o local: apartamentos inacabados, princípio de incêndio e furto fizeram da primeira semana australiana em solo carioca um verdadeiro enredo de novela.

A epopeia australiana no Brasil começou logo na chegada da delegação ao prédio na Vila Olímpica. A repercussão ficou maior com a declaração do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, afirmando que colocaria um canguru no local para melhorar a receptividade e amenizar os inúmeros problemas encontrados.

O pedido de desculpas e a trégua nos problemas vieram com a entrega das chaves do local e a cerimônia de entrega oficial da residência australiana. Mas o que parecia ser o fim dos problemas apenas interrompeu momentaneamente outros que viriam na sequência.

Um princípio de incêndio no prédio da Austrália assustou todos na Vila Olímpica. O incidente gerou ainda novas reclamações da delegação do país, que criticou o livre fluxo de fumantes pelo local. Para encerrar a semana de tormenta, furtos em pertences da delegação foram revelados neste domingo, agravando ainda mais a turbulenta relação com o Rio de Janeiro.

A CRONOLOGIA DOS 7 DIAS DE "AZAR" AUSTRALIANO

DIA 24: A PRIMEIRA CONFUSÃO


A Vila Olímpica dos Jogos Rio 2016 abriu as portas às delegações e a primeira polêmica não demorou a aparecer. Em nota oficial, a Austrália, que deveria estar com os atletas hospedados no local desde o dia 21 de julho, comunicou que a mudança ainda não havia acontecido por conta de problemas de "gás, eletricidade e encanamento. Os atletas do país ficaram hospedados em hotéis perto da Vila.

A irritação de delegação australiana ficou ainda mais evidente após o prefeito do Rio de Janeiro dar uma declaração sobre os problemas na Vila. Eduardo Paes prometeu fazer o possível para os australianos se sentirem em casa, com direito até a canguru.

DIA 25: OBRAS

Um dia após inúmeras reclamações vindas da delegação australiana sobre a estrutura dos apartamentos na Vila Olímpica, a direção executiva de operações Rio 2016 afirmou que os problemas seriam solucionados rapidamente, estipulando um prazo de menos de 48 horas.

DIA 26: O RETORNO

Após a polêmica sobre as condições dos apartamentos da Vila Olímpica, a delegação da Austrália finalmente começou a ocupar o prédio destinado ao país. Os primeiros atletas desembarcaram na residência oficial.

Uma força-tarefa com 600 profissionais (entre encanadores, bombeiros, eletricistas e ajudantes de serviços gerais) se dividiu em turnos para trabalhar 24h por dia para sanar os problemas estruturais encontrados nos apartamentos da Vila, como vazamentos, entupimentos, além de falhas elétricas.

DIA 27: PEDIDO DE DESCULPAS

Depois de duras críticas logo no primeiro dia em solo brasileiro sobre a condição dos apartamentos “inabitáveis”, o prefeito Eduardo Paes entregou o símbolo da residência oficial dos atletas à chefe de missão do país na Olimpíada, Kitty Chiller. A cerimônia contou com a participação de parte dos 50 atletas australianos, selando o entendimento entre a Austrália, o prefeito do Rio de Janeiro e o Comitê Organizador dos Jogos. Chiller presenteou Paes com um canguru de pelúcia e uma camisa do time australiano. Em troca, ela recebeu do prefeito o mascote Vinicius e desculpas formais pela polêmica declaração de domingo.

DIA 29: PRINCÍPIO DE INCÊNDIO

O prédio da delegação da Austrália na Vila Olímpica foi evacuado às pressas após fumaça na escada assustar integrantes da delegação. Uma guimba de cigarro numa caixa de papelão causou o princípio de incêndio, que acionou os exaustores do prédio. Cinco caminhões dos bombeiros chegaram pouco depois da ocorrência. O fato assustou e irritou muito os atletas australianos hospedados na Vila.

DIA 30: INSATISFAÇÃO COM FUMANTES NA VILA

O principio de incêndio no prédio australiano deixou muito irritada a chefe da delegação do país, Kitty Chiller. Sem esconder a insatisfação, a dirigente registrou como inaceitável o número de pessoas fumantes no local. O Comitê organizador confirmou a proibição a fumantes na área da Vila.

DIA 31: FURTO E RECLAMAÇÃO SOBRE SEGURANÇA

Uma semana depois do primeiro episódio, a Austrália voltou a reclamar de problemas na Vila. A delegação australiana relatou o desaparecimento de dois notebooks e de roupas de atletas logo após o prédio ser evacuado.

A segurança foi um dos pontos da reclamação formal da Austrália. Segundo o diretor do Rio 2016, a queixa dos australianos se refere principalmente à segurança de trabalho, já que alguns operários que fazem os ajustes nos apartamentos trabalham, por exemplo, de chinelo.

O Comitê Rio 2016 reconheceu a dificuldade de fiscalizar o acesso de pessoas por conta do tamanho da Vila, no início das operações.

Fonte: Globo Esporte
Foto: Reprodução Twitter AUS OlympicTeam
Página anterior Próxima página