Esporte: Bruninho e Lucão prontos para enfrentar velhos conhecidos italianos

Bruninho e Lucão prontos para enfrentar velhos conhecidos italianos



Os olhos que não se cansam de acompanhar os primeiros dias de vida do pequeno Theo, por horas a fio em frente a um computador ou da tela de um celular, vão ter que se voltar em outra direção a partir desta quarta-feira. Vão ter que estar bem atentos a Juantorena, Zaytsev, Vettori e Piano, seus dois ex-companheiros de Modena. Depois de uma temporada atuando na Itália ao lado de Bruninho, o central passou a conhecer como a palma da mão boa parte dos jogadores que estarão do outro lado da quadra na partida que abre a fase final da Liga Mundial, na Cracóvia. E sabe que qualquer deslize contra eles poderá custar bem caro. O confronto será às 12h30 (de Brasília), com transmissão do SporTV. O GloboEsporte.com acompanha em Tempo Real.

Mesmo que já tenham deixado claro que o objetivo na temporada é a Olimpíada do Rio, jogadores e comissão técnica não escondem o desejo de pôr fim ao incômodo jejum de títulos na competição. O último foi conquistado na edição de 2010 e a comemoração nunca foi esquecida por Lucão.

- Faz tempo! Aquela vez lá em Córdoba estava fazendo 0ºC e a gente pulou na piscina. Eu lembro até hoje porque foi muito legal. E saudade de título eu sempre tenho, ainda mais com a seleção, pelo carinho muito grande da torcida. Depois dali foram três vices e faltou, faltou um pouquinho. A gente estava comentando até esta semana que a equipe está mais madura, com um pensamento muito melhor. No ano passado, foi um baque grande a gente ter ficado fora das finais no Rio e acho que a equipe amadureceu muito - disse.

A lição foi dura, mas entendida. Desde então, o saque passou a ser aprimorado, a atitude em quadra mudou. Não à toa, o Brasil fechou a fase de classificação com a melhor campanha: oito vitórias em nove jogos. Para dar sequência a ela, terá de mostrar consistência contra a Itália. Esta será a primeira vez que a seleção irá atuar com Juantorena, cubano naturalizado, e com Zaytsev jogando como ponteiro novamente.

- O saque deles é muito forte. Tem o Juantorena entrando, o Zaytsev voltando a jogar numa posição de anos atrás. Então, é uma equipe que cresceu muito em termos de potência de ataque. Perdeu um pouco em recepção, mas acredito que em termos de potencial ofensivo ganhou muito. Eles vão vir com um saque e um bloqueio muito pesados. E vai ser gostoso jogar contra meus ex-companheiros de time. Era um grupo jovem, eu era o segundo mais velho e estava me sentindo um avô lá com 30 anos (risos). São pessoas espetaculares e grandes jogadores. Tem o Vettori, que pode ser um dos grandes opostos do mundo daqui para frente. O Piano é um grande central, bloqueia muito bem. O bom de ter jogado na Itália foi que eu conheci bastante deles e dá para explicar como eles jogam. E acho que vai dar uma ajudada para a equipe.

A chegada de Juantorena fez Bernardinho colocar os italianos entre os candidatos ao ouro olímpico. Bruninho concorda e comemora a oportunidade de o Brasil poder enfrentá-los antes dos Jogos, já que estão na mesma chave na primeira fase.

- Ele é um jogador que hoje pode não ter o mesmo vigor físico de quatro anos atrás, quando era mais jovem, mas ele faz a diferença no ataque. É um cara que saca muito bem, que deu uma confiança para o time. É uma outra arma. Tem que ficar de olho, estudar bem ele e a equipe inteira também. É importante termos os melhores testes possíveis agora. Estamos motivados e a fim de mostrar nosso jogo. É claro que contra a Itália, você conhece mais os jogadores, de certa forma eles te conhecem mais também. Então, existe um pouco mais desse estudo em relação ao meu jogo e ao dos adversários. Vou tentar ludibriar um pouco esses caras que de certa forma me conhecem bem. Nosso time está lúcido para o que veio fazer aqui. Temos essa vontade de chegar à final, de conquistar esse título, mas é claro que não podemos correr muitos riscos porque nosso maior objetivo está lá na frente. Os treinos estão alegres, para cima, e é isso que a gente tem buscado a cada dia. Positividade máxima, por mais que a fase final seja dura - afirmou o levantador.

Bem mais difícil para Lucão tem sido enfrentar a saudade do filho.

- É complicado (risos). Só pude tê-lo no meu colo por umas 10 horas, antes de embarcar para as etapas na Europa. Ainda bem que dá para acompanhar 24 horas por dia. Tem uma câmera em cima do berço dele que eu fico vendo ele o tempo inteiro. Fico com o olho no computador e com o celular ligado do outro lado (antes do nascimento dele passava as horas no hotel vendo séries). Tento acompanhar tudo o que posso. Minha esposa brincou dizendo que vou sentir saudade do hotel quando eu voltar, porque ela não está dormindo nada. Se tudo der certo a gente vai fechar essa Liga Mundial com o título e vou poder ficar uns três dias perto dele.

Seleção na liga mundial 2016

Rodada no Brasil
16/06 - Brasil 3 x 0 Irã
16/06 - Estados Unidos 3 x 1 Argentina
17/06 - Brasil 3 x 0 Argentina
17/06 - Estados Unidos 3 x 1 Irã
18/06 - Irã 3 x 2 Argentina
18/06 - Brasil 3 x 1 Estados Unidos

Rodada na Sérvia
23/06 - Irã 3 x 1 Bulgária
23/06 - Brasil 1 x 3 Sérvia
24/06 - Brasil 3 x 1 Irã
24/06 - Sérvia 3 x 1 Bulgária
25/06 - Bulgária 0 x 3 Brasil
25/06 - Irã 1 x 3 Sérvia

Rodada da França
01/07 - Brasil 3 x 0 Polônia
01/07 - França 3 x 0 Bélgica
02/07 - Brasil 3 x 2 Bélgica
02/07 - França 3 x 1 Polônia
03/07 - Bélgica 2 x 3 Polônia
03/07 - Brasil 3 x 1 França

Fase final na Polônia
13/07 - 12h30 - Brasil x Itália
13/07 - 15h30 - Polônia x França
14/07 - 12h30 - EUA x Itália
14/07 - 15h30 - Polônia x Sérvia
15/07 - 12h30 - Sérvia x França
15/07 - 15h30 - Brasil x EUA

Fonte: Globo Esporte
Foto: Danielle Rocha
Página anterior Próxima página