Esporte: Brasil inicia caminho de volta à elite em "treino de luxo" contra o Equador

Brasil inicia caminho de volta à elite em "treino de luxo" contra o Equador



Com 21 dias para o início dos Jogos Olímpicos, o duelo entre Brasil x Equador, pelo Zonal Americano I da Copa Davis, pode ser considerado um treino de luxo para Thomaz Bellucci, Rogério Dutra Silva, Marcelo Melo e Bruno Soares. A equipe brasileira, capitaneada por João Zwetsch, estará no Rio em agosto para representar o país e conta com todos os tenistas dentro do top 100 de simples ou duplas no ranking da ATP. Realidade bem distinta dos equatorianos, que tem em Emilio Gomez (317°) sua principal força. Nem mesmo Giovanni Lapentti, irmão mais novo do lendário Nicolás Lapentti, foi convocado para o confronto, que terá início nesta sexta, às 16h, na Arena Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte.

Os dois confrontos desta sexta-feira serão entre os jogadores de simples. Número 2 do Brasil, Rogerinho (90° do ranking) abre os trabalhos contra Emilio Gomez (317°), às 16h (de Brasília). Logo depois, será a vez de Thomaz Bellucci (49°) encarar Roberto Quiroz (434°).

Verdade é que o Brasil já pensa na Olimpíada e, por isso, optou por um piso semelhante ao das quadras da Arena do Tênis, no Rio. Porém, apesar do imenso favoritismo dos brasileiros na Copa Davis, o discurso é de pés no chão. Afinal, contra Barbados, o Equador mostrou muita força, dominando o confronto vencido por 5 a 0, com direito a uma a um triplo 6/0 de Emilio Gómez. Técnico brasileiro, João Zwetsch assume uma superioridade, mas mantém os pés no chão para não dar sopa para o azar, principalmente jogando dentro de casa.

- Acima de tudo, como a gente sempre faz, há o respeito e uma forma de encarar o confronto com muita seriedade. No papel somos melhores, jogamos em casa, mas acima de tudo, o jogo é decidido dentro da quadra. A preparação dos nossos atletas é o que realmente importa. A gente sabe que Copa Davis é muito emocional, surpresas acontecem, e temos que estar preparados para que isso não nos toque - afirmou o capitão do Brasil.

No sábado, às 14h, é a vez do jogo de duplas. Marcelo Melo e Bruno Soares enfrentam Emilio Gomez e Roberto Quiroz, que jogam as duas partidas de simples no dia anterior. No entanto, como é de praxe nos confrontos de Copa Davis, o time equatoriano pode optar por uma alteração até para preservar seus jogadores de um possível cansaço.

- Conheço mais o Emilio (Gomez), mas nunca joguei com nenhum dos dois. O Roberto (Quiroz) está no circuito há menos tempo. É relativo eles já terem jogado. Já vão ter passado o nervosismo, se vão estar cansados ou não, depende do tempo em quadra. Para gente é bom para observar um pouco e ver que pontos a gente explorar. Mas, duplas sempre tem a possibilidade de mudar - disse Bruno.

O próprio capitão do Equador, Raul Viver, assume que eventuais alterações podem acontecer dentro de sua equipe. Por isso, ele preferiu dar moral para seus quatro convocados, incluindo ainda Gonzalo Escobar (396°) e Ivan Endara (470°).

- Tenho quatro jogadores e qualquer eventualidade posso fazer alterações. Também tenho confiança nos outros jogadores. Eles já jogaram outros jogos da série, são jogadores experientes, então podem atuar sem muito problema - afirmou o capitão equatoriano.

Se algum time vencer os três confrontos, as partidas do domingo podem ser alteradas para melhor de três sets. Caso sejam necessários, os jogos quatro e cinco são Thomaz Bellucci x Emilio Gomez e Rogério Dutra Silva x Roberto Quiroz, respectivamente. A programação do último dia do Zonal Americano I da Copa Davis está marcada para às 12h.

Fonte: Globo Esporte
Foto: Cristiano Andujar/CBT
Página anterior Próxima página