Esporte: Noite de CR7: abraço em Zizou, "mão boba" em James e brincadeira no final

Noite de CR7: abraço em Zizou, "mão boba" em James e brincadeira no final



Desde o começo do jogo, Cristiano Ronaldo foi hostilizado pela torcida do Roma. Em cada um dos 47 passes que recebeu, o luso escutou vaias intensas e gritos por Messi. Da “Curva Sud” do estádio Olímpico voaram ainda duas bombas e dois sinalizadores durante o encontro que assustaram até os seguranças locais, mas não intimidaram o camisa 7 do Real Madrid. Apesar do clima criado pelos fãs “giallorossi”, CR7 foi o melhor em campo com quatro finalizações, um gol, dois bons passes, que por pouco não foram decisivos: um para Marcelo, que chutou de primeira ao lado do gol de Szczęsny, e outro para James, que não chegou na bola graças a um corte providencial de Vainqueur. Ao Roma não bastou Florenzi para marcar Ronaldo que, com um gol aos 11 minutos do segundo tempo, desequilibrou o confronto e praticamente colocou por terra as esperanças dos italianos nas oitavas de final da Liga dos Campeões. Jesé marcou o 2 a 0.

- Florenzi jogou bem, fez tudo o que podia fazer, mas Cristiano Ronaldo é daqueles jogadores fantásticos. Bom, só um time como o Real Madrid pode ter um jogador desses e o Barcelona tem o outro. Não há mais nenhum assim - afirmou o treinador do Roma, Spalletti, em entrevista na zona mista após o encontro.

Até o gol do camisa 7, a partida estava equilibrada. As grandes oportunidades de gol do Real Madrid surgiram após o 1 a 0. No total, os merengues somaram 13 finalizações contra cinco do Roma. Os italianos, no entanto, conseguiram só um disparo na direção de Navas, enquanto que os espanhóis fizeram cinco. O 2 a 0 praticamente sentencia a eliminatória que será decidida a 8 de março no Santiago Bernabéu. Com dois gols fora, o Real Madrid até pode se dar ao luxo de perder por 1 a 0, 2 a 1 ou empatar por qualquer número de gols.

CR7 feliz comemora com James


A alegria dos jogadores merengues é tanta que, no momento do gol de CR7, eles não hesitaram ao escolherem o lugar do campo para celebrar. O artilheiro da Champions, com 12 gols, se dirigiu imediatamente para Zidane – que acompanhava a partida com muita calma – e abraçou o treinador francês em sua noite de estreia no torneio. Com Zizou, os jogadores reencontraram motivação, sorrisos e gols fora de casa - CR7 não marcava longe do Santiago Bernabéu desde o dia 29 de novembro.

Ao celebrar o seu gol, o luso aproveitou para fazer gestos na direção da torcida e das câmaras, mostrando que estava de volta. Os companheiros abraçaram o goleador do time, mas no momento da celebração, o atacante teve um gesto curioso com James Rodriguez. O português apalpou (foto ao lado) duas vezes o bumbum do colombiano, que prontamente afastou, sorridente, a mão “boba” do amigo.

O clima é de tanta afinidade entre Zidane e os jogadores merengues que o francês ousou tirar CR7 do gramado ao minuto 44' do segundo tempo. Tudo com o consentimento do craque, que instantes antes havia conversado com o treinador junto à linha lateral. Cristiano Ronaldo não era substituído desde maio do ano passado, na última partida do Campeonato Espanhol. Ele deixou o campo quando o seu time já vencia por 2 a 0 e as vaias da torcida do Roma já tinham perdido intensidade. Feliz e alegre, o luso sentou no banco, ao lado de Danilo, e os dois riram e conversaram nos instantes finais da partida, quem sabe já pensando no possível adversário das quartas, visto que o jogo da volta contra o Roma é quase uma formalidade. O luso deixou o estádio Olímpico depois de distribuir alguns autógrafos aos garotos italianos que o aguardavam na zona mista, fez algumas brincadeiras, mas não respondeu às perguntas dos repórteres.

- Já falei ontem - disse o craque se referindo à coletiva de imprensa da véspera.

– Vi que você tinha mãozinha no ar para fazer pergunta, mas não te deram oportunidade - lamentou ele sorridente.

Fonte: Globo Esporte
Fotos: REUTERS/Alessandro Bianchi e Claudia Garcia
Página anterior Próxima página