Esporte: Mineirinho abre mão de ficar no Havaí e volta ao Brasil para curtir família e fãs

Mineirinho abre mão de ficar no Havaí e volta ao Brasil para curtir família e fãs


Adriano de Souza é tão viciado em surfe e trabalho que ele pensou em continuar no Havaí surfando por até um mês após conquistar o histórico título mundial, na quarta-feira, com direito ao primeiro triunfo de um brasileiro no maior evento de surfe do Circuito Mundial, o Pipe Masters, em Pipeline. Na cabeça do melhor surfista do mundo em 2015, era preciso aproveitar a temporada havaiana de inverno, que tem altas ondas, para seguir evoluindo e também para se divertir sem o peso das competições.

Mas Mineirinho percebeu a dimensão do seu feito e também foi convencido pela noiva, a modelo Patrícia Eicke, que é hora de voltar para o Brasil para curtir a família e desfrutar o grande aumento da sua popularidade após levantar o caneco que apenas Gabriel Medina tinha obtido para o país nos primeiros 38 anos de surfe profissional. Adriano desembarcará na terça-feira, em São Paulo, onde concederá entrevistas e ficará por algum tempo antes de ir para Florianópolis, onde vive com a amada.

- Agora, estou tendo um parâmetro melhor. Eu até pensei em ficar no Havaí treinando e aproveitando esse momento bom que é a temporada havaiana. Mas depois que fui campeão mundial, eu senti o peso que é. Está todo mundo me esperando no Brasil, quero abraçar minha família e receber o carinho de todos, e dessa torcida enorme que eu tive. Vou voltar na terça e quero aproveitar essa oportunidade de estar no Brasil e curtir isso. Depois, eu penso em surfar mais e treinar, vai dar tempo de tudo - disse Adriano, na casa alugada por sua noiva perto de Pipeline, para qual ele se mudou após o fim da competição.


Adriano está ligado na tomada e não consegue descansar direito desde o dia histórico em Pipe. Também pudera. Realizar o maior objetivo profissional após dez anos de luta, vitórias, derrotas e tentativas frustradas gera uma adrenalina inimaginável. No dia seguinte ao seu maior triunfo, Mineirinho.

- Eu fiquei vagando na noite, eu ficava sonhando e daí acordava. Em diversos momentos eu acordei pensando que aquilo não tinha acontecido. Foi um desabafo muito grande fazer tudo num dia só. Há dez anos que eu vinha batalhando por isso e não acontecia. Agora aconteceu.

Ser o vencedor da etapa de Pipeline, com uma das ondas mais difíceis de domar do planeta, não para de surpreender Mineirinho e o encher de orgulho. Ele confessa que virar um Pipe Master era algo que não passava muito pela cabeça dele, por conta do seu histórico de oito participações e um nono lugar como melhor resultado. O objetivo principal era ser campeão do mundo, mas ele botava mais fé que isso fosse acontecer com ele avançando uma bateria a mais do que o australiano Mick Fanning e o também paulista Filipe Toledo, que estavam à sua frente no ranking mundial.

- A minha meta era ser campeão mundial. Eu nunca tinha tido um resultado muito bom em Pipeline, mas as coisas foram acontecendo, eu fui vencendo as minhas baterias e ganhando confiança. Depois, com a eliminação do Filipe e depois do Mick, eu só precisava vencer a semifinal para garantir o título. Foi o que aconteceu e cheguei muito forte na final com o Gabriel. Achei duas boas ondas e conquistei o Pipe Masters. Foi demais.

Agora com resultados de alto nível em todo tipo de onda importante do Circuito Mundial, Adriano de Souza acredita que pode dizer que é um legítimo campeão do mundo. Surfistas de enorme respeito e com muita moral como o australiano Taj Burrow, há 18 anos na elite e com dois vices e 15 temporadas entre os top 10, jamais conseguiram.

- O campeão mundial precisa ser bom em mar pequeno, mexido, mar médio, mar grande. Isso faz com que o atleta se puxe bastante e se dedique bastante para atingir esse nível. O nível atualmente está tão alto que muita gente tem um ápice em um tipo de onda e em outro não. Estou muito feliz de fazer parte desse grupo seleto de campeões mundiais. Tem muito cara bom que nunca conseguiu ganhar um título mundial e eu consegui.

Fonte: Globo Esporte
Foto: David Abramvezt
Página anterior Próxima página