Esporte: Com vice e sem vaga no G-4, Santos deixa de ganhar R$ 3 milhões

Com vice e sem vaga no G-4, Santos deixa de ganhar R$ 3 milhões



Depois de se reerguer no primeiro semestre, superando um início de temporada repleto de turbulências fora de campo e muita desconfiança, o Santos vai encerrar 2015 com um gosto amargo na boca. Mais do que isso: vai sentir no bolso a perda do título da Copa do Brasil e o insucesso na tentativa de terminar no G-4 do Campeonato Brasileiro. Em números, o "prejuízo" será de, pelo menos, R$ 3 milhões.

A derrota para o Palmeiras no Palestra Itália na grande decisão da Copa do Brasil fará com que o prêmio pago pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ao campeão, de R$ 4 milhões, seja destinado aos cofres alviverdes. O vice-campeonato renderá apenas a metade do valor ao time da Vila Belmiro.

No Brasileiro, o time de Dorival Júnior conseguiu quebrar um jejum de cinco anos que a equipe não entrava no G-4, mas não se manteve no posto. A quatro jogos do fim da competição, foram um empate, duas derrotas e queda na tabela. A partida de despedida, contra o Atlético-PR, poderá apenas amenizar o prejuízo.

Caso sustentasse a quarta posição, o Santos receberia R$ 3,2 milhões da CBF. Agora -dependendo de uma combinação de resultados -, o máximo que o clube arrecadará com premiação são R$ 2,2 milhões, com um quinto lugar. No pior cenário, que é a oitava colocação, o clube levaria R$ 1,2 milhão. Mantendo sua sétima colocação de momento, R$ 1,3 milhão serão pagos, com um acréscimo de R$ 100 mil se a equipe ficar em sexto lugar.

A ausência na próxima edição da Copa Libertadores da América também acaba frustrando planos do departamento de marketing para uma alavancada e valorização da marca em 2016. Confirmando-se a classificação do São Paulo no domingo, contando que Corinthians e Palmeiras já asseguraram suas vagas na competição continental, o Santos terá muita dificuldade em atrair patrocinadores e parceiros com todos seus rivais locais tendo possibilidade de exposição muito maior na mídia.

Desde janeiro de 2013, o clube não chega a um acordo de no mínimo uma temporada para o espaço nobre da camisa - o famoso patrocinador máster.

Fonte: MSN
Foto: Gazeta Press
Página anterior Próxima página