Esporte: Neymar vai mal em última chance de convencer eleitores da Bola de Ouro

Neymar vai mal em última chance de convencer eleitores da Bola de Ouro



Sabe aquele ditado "a última impressão é a que fica"? Pois é, o atacante Neymar teve a oportunidade de deixar a melhor das impressões para os eleitores da Bola de Ouro da Fifa na partida desta terça-feira, contra o Peru, em Salvador, mas não foi bem. A atuação do camisa 10 foi de altos e baixos e o jogador perdeu uma ótima chance de convencer capitães e treinadores de seleções a votarem nele para o prêmio que será entregue no início da janeiro. O pleito se encerra nesta sexta-feira, mas o resultado só será divulgado em 2016.

A expectativa de Neymar nem era a de ganhar a Bola de Ouro, mas de pelo menos ficar entre os melhores do planeta. Duas vagas devem ficar com o seu companheiro de Barcelona, o argentino Lionel Messi, grande favorito a levar o troféu de 2015, e com o português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid. O que pareceu nesta terça-feira é que o atacante brasileiro estava fora de sintonia e pouco adaptado à posição em que foi escalado por Dunga, como referência no ataque.

Em campo, na vitória do Brasil por 3 a 0 sobre o Peru - gols de Douglas Costa, Filipe Luís e Renato Augusto (veja os gols no vídeo acima) -, Neymar finalizou quatro vezes, todas para fora. Teve um aproveitamento de 81% nos passes. E cometeu quatro das 12 faltas da Seleção. Foi o único a levar o cartão amarelo da equipe nacional, após disputa de bola no campo de ataque. No fim, ainda viu o árbitro Jose Buitrago recusar a sua camisa de presente.

Apesar do desempenho, o técnico Dunga foi só elogios à postura coletiva do camisa 10.

- São dois ou três para marcarem o Neymar, sobra espaço para os outros. A bola sobrou para o Renato no segundo gol porque o Neymar abriu espaço, trabalhou, naquela posição ele teria maior liberdade de movimentação. Necessita de mais tempo de treinamento para infiltrações e trocas de posições entre o Neymar e os jogadores que vêm de trás, mas ele fez um gol que o juiz anulou e teve boa participação coletiva. Ele joga assim algumas vezes no Barcelona, mas muito mais pelo lado esquerdo. Aos pouquinhos vai se adaptando.

Durante os nove dias que ficou com a Seleção, Neymar preferiu não conversar com os jornalistas. Deu apenas um aceno em sua chegada a São Paulo. Na zona mista em Buenos Aires, preferiu o silêncio. Nesta terça-feira, o jogador, assim como outros 16 companheiros, evitou transitar pelo local das entrevistas.

A última vez que uma boa atuação às vésperas do encerramento de uma votação talvez tenha feito a diferença aconteceu em 2013. Naquela ocasião, Cristiano Ronaldo marcou três vezes na vitórias de Portugal por 3 a 2 sobre a Suécia e garantiu os lusos na Copa. Posteriormente, o craque do Real Madrid ganhou a Bola de Ouro.

Diante do quatro acima, os eleitores podem premiar ou não o brasileiro com uma vaga entre os três melhores do mundo. É esperar para ver a decisão do pleito da Fifa.

Fonte: Globo Esporte
Foto: EFE
Página anterior Próxima página