Esporte: Holm revela papo com Ronda: "Disse que gosto dela, a respeito e agradeci"

Holm revela papo com Ronda: "Disse que gosto dela, a respeito e agradeci"



A nova campeã peso-galo do UFC, Holly Holm, fez questão de mostrar respeito e agradecimento a Ronda Rousey logo após derrotá-la por nocaute no UFC 193, no último sábado. Segundo o jornal "Los Angeles Times", Holm teria conversado rapidamente com a rival logo após o duelo, no Etihad Stadium, em Melbourne, na Austrália.

- Eu disse que gostava dela e que nenhuma de nós, lutadoras, teríamos tido as oportunidades que tivemos se ela não tivesse sido uma grande campeã, e também disse que a respeito muito. Ter vencido uma vez te dá muita confiança, mas uma revanche é diferente. Eu sofri um nocaute brutal em 2011, no boxe, e quis demais a revanche. consegui, e vinguei a minha derrota. O segredo do sucesso de Ronda é a sua confiança. Ela é muito determinada e forte mentalmente. Ser confiante não é um problema, e não acho que ela estava confiante demais. Nunca se sabe o que vai acontecer em uma luta, e essa imprevisibilidade é que motiva os fãs.

Holm também falou da sua estratégia na luta, e disse que ficou orgulhosa de ter usado não só suas habilidades do boxe, mas também técnicas de outras modalidades de luta para derrotar a então campeã.

- Estou orgulhosa da minha performance e do que o boxe me ensinou e que eu pude usar na luta. Mas acho que me portei como uma lutadora de MMA. O chute foi o que a nocauteou. Eu usei a movimentação do boxe e o jogo de pés que preparou os golpes, mas na luta ela me pressionou na grade, e eu consegui sair. Houve um clinche e eu me defendi com com o corpo, impedindo que ela me derrubasse. Eu lutei mais que boxe, mas sem dúvidas ele me ajudou muito, assim como todo o meu treinamento. Eu comecei meu camp com chaves de braço, e a princípio achei burrice, pois tínhamos pouco tempo para a luta. Mas depois, quando alguém vinha tentar aplicar chaves de braço, eu conseguia impedir, porque sabia aonde aquilo iria dar. Pude perceber antes que o golpe começasse a ser executado. A ideia era prevenir a execução do golpe, e foi útil no primeiro round, quando estávamos no chão. Vi que o golpe estava vindo e saí da posição na mesma hora.

Holm disse também que frustrou Ronda em tudo que a ex-campeã tentou, e acredita que o plano da rival não era lutar em pé todo o tempo.

- Não deixei que ela aplicasse o clinche nem que ela fizesse o que queria fazer. Ronda me pressionou na grade, travou a minha cabeça e tentou me desequilibrar com o quadril, mas eu peguei o timing dela. Não acho que ela quis lutar em pé o tempo todo. Nosso plano de luta funcionou bem e consegui ter total controle das ações no octógono. Minha equipe me disse para andar para frente todo o tempo e vencer os rounds claramente, porque a campeã era ela. Decidi então que colocaria um ritmo muito forte por 25 minutos, me impondo a ela.

Fonte: Globo Esporte
Foto: Paul Crock/AFP/Getty Images
Página anterior Próxima página