Esporte: Engenhão: reforma da cobertura entra na reta final e obras no entorno iniciam

Engenhão: reforma da cobertura entra na reta final e obras no entorno iniciam



Palco do atletismo dos Jogos Olímpicos de 2016, daqui a exatos dois anos, o Engenhão está interditado desde março de 2013, quando um laudo alertou para o perigo da queda da cobertura em caso de ventos acima de 63km/h. Os arcos de sustentação haviam se deslocado 50% além do previsto. As obras para corrigir o erro do projeto começaram quatro meses depois, em julho, e a previsão de conclusão é novembro deste ano, 20 meses após o início.

Em julho deste ano, 34 torres foram instaladas para aliviar o peso da cobertura para colocação dos mastros e tirantes que reforçarão os arcos superiores. A cobertura será redimensionada, e as torres de escoramento, retiradas. A reforma do estádio do Botafogo conta com cerca de 500 operários, sendo 30 alpinistas, um guindaste de 500 toneladas e outros dois menores. As obras de reurbanização no entorno começaram em junho. A principal mudança será a criação da Praça do Trem, que vai aproveitar antigos galpões para se transformar na maior área de lazer do Grande Méier e no maior acesso ao Engenhão. A iluminação será reforçada, uma ciclovia criada e galerias fluviais vão ajudar a eliminar pontos críticos de alagamento nos dias de chuva.

Um projeto inicial para recuperar a cobertura do Engenhão chegou a ser divulgado pela imprensa, mas foi descartado pelas dificuldades. Consistia em “pinçar” e cobertura com dois cabos estaiados instalados do lado de fora do estádio para distribuir a carga das estruturas comprometidas. A construção do estádio foi iniciada pelo Consórcio RDR, das empreiteiras Racional, Delta e Recoma, que assumiu não ter capacidade para construir a cobertura quando ela já estava 25% feita. O Consórcio Engenhão (OAS e Odebrecht) assumiu e terminou a obra em um prazo apertado. As duas empreiteiras bancam o reparo, cujo custo não foi divulgado, e buscam na Justiça o ressarcimento dos valores investidos.

Fora o imprevisto na cobertura, outras ações já estavam previstas para os Jogos Olímpicos. As principais são a instalação de 15 mil cadeiras, que aumentarão a capacidade de 45 mil para 60 mi lugares, e de uma nova pista, principal e de aquecimento. Haverá implantação de rede de média tensão, instalação de novo sistema de som, infraestrutura para cabeamento de telecomunicações, aumento do número de câmeras de segurança, adaptação da rampa externa, aumento do número de projetores e melhorias na iluminação da pista. Não será preciso interromper a realização das partidas de futebol entre o período de março de 2015 e fevereiro de 2016.

Fonte: Globo Esporte
Foto: Divulgação
Página anterior Próxima página