Esporte: Prefeito de Porto Alegre admite risco de não ter Copa no RS

Prefeito de Porto Alegre admite risco de não ter Copa no RS



A pouco mais de dois meses da Copa do Mundo no Brasil, o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, mostra cada vez mais preocupação sobre a construção das estruturas temporárias no estádio Beira-Rio, sede dos jogos do Mundial na capital. Em entrevista à Rádio Gaúcha na manhã desta segunda-feira (24), Fortunati disse que a única solução é o projeto de lei que incentiva empresas a construírem as estruturas temporárias em troca de isenções fiscais, que tramita na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.

“Esse é o ponto que representa o gargalo em termos de realização da Copa em Porto Alegre. Se [o projeto de lei] não for votado, consequentemente, não teremos Copa em Porto Alegre. Porque não teremos como buscar recursos. Não tem plano B, não tem plano C, não tem plano Z. A única alternativa é essa”, sintetizou o prefeito.

Segundo Fortunati, na próxima quarta-feira (26), o vice-prefeito, Sebastião Melo embarca para o Rio de Janeiro onde vai debater o impasse em uma reunião do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo. Sobre as demais obras do entorno do Beira-Rio, Fortunati não crê em problemas.

O Ministério Público do Rio Grande do Sul, em audiência recente, foi enfático no que diz respeito ao uso de recursos públicos na construção das estruturas temporárias. Mesmo que o Inter consiga a aprovação de isenção fiscal, ou tenha apoio de parceiros privados, o estado deverá ser ressarcido pelo clube após o Mundial. O Inter, no entanto, não quer arcar com as despesas.

As estruturas temporárias vão abrigar, no entorno do Beira-Rio, as áreas de imprensa, energia, tecnologia da informação e segurança, entre outras, necessárias para a organização da Copa. A maior parte dos itens será desmontada depois do Mundial.

Fonte: G1
Foto: Reprodução
Página anterior Próxima página